Olá!

Ler Pequena Abelha me foi uma grata surpresa, isso porque a premissa é muito aberta. O autor, Chris Cleave, pede para que, após a leitura, o leitor não comente muito sobre a obra, para não estragar a magia. Então, seguindo sua vontade, vou falar o mínimo possível, para não estragar a experiência de vocês.
SKOOB - Basicamente,  Pequena Abelha vai contar a história de duas mulheres, que se encontram numa praia por um certo motivo. Vai acontecer uma situação que levará uma das duas mulheres ao extremo - e quando digo extremo, pode ter certeza que é - levando-a a fazer algo inacreditável. Dois anos se passam e essas duas mulheres se reencontram, em outro lugar totalmente diferente, numa situação totalmente diferente. Juntas, elas terão que procurar como sobreviver num lugar que é complicado para uma e hostil para a outra.

É claro que a história é muito, mas muito mais que o parágrafo acima. Mas o que posso acrescentar a isso? Uma delas é jornalista, a outra é refugiada. No segundo momento, estão em Londres. O livro é bem atual, então vai retratar um tema que, só não foi discutido com ferocidade aqui porque o Brasil é grande demais: a imigração em massa. Não que ela não esteja acontecendo aqui, mas não é como na Europa, quero dizer.

O livro é retratado em primeira pessoa, sob o ponto de vista das duas mulheres. Cada uma te surpreende de um jeito, mas a refugiada, essa me deu uma lição de vida. Cada página era um tapa na minha cara, tamanha era a verdade que ela, em parágrafos tão concisos, me mostrou. Só sei que sua maior lição ficou gravada em mim até hoje. Resumidamente, ela diz que "se os homens vierem e você não souber como se matar, aí eu terei pena de você".
A frase acima, assim, solta na resenha, pode não significar muita coisa, mas quando você lê a história dela, aí sim você saberá que ela tem razão. Não direi quem são os homens em questão, mas pode ter certeza, eles não são bons. 

Infelizmente, mais um excelente livro da Intrínseca que não teve o hype merecido. Assim como o Por Favor, Cuide da Mamãe (resenha aqui), Pequena Abelha não emplacou tanto aqui no país (pelo menos até onde me lembro), mas tem uma mensagem tão linda, mas tão real e tão atual, que até dói, só de imaginar que isso está acontecendo agora, em pleno mês de junho de 2017 - detalhe, o livro foi publicado originalmente em 2010.

Espero que tenham mais obras do Chris Cleave publicadas no Brasil, porque, pode ter certeza, ele ganhou uma fã, por sua sinceridade e crueza com as palavras, mas sem deixar de ser delicado. Ah, o título original é The Other Hand (A Outra Mão), eu preferiria que fosse traduzido ao pé da letra, mas, ao ler a história, você entende que o título seria um spoiler.

"Uma cicatriz não se forma num morto. Uma cicatriz significa: 'Eu sobrevivi'."



38 Comentários

  1. Olá, tudo bem?
    Fico feliz por ser a primeira a comentar. Em fim, sua resenha ficou magnífica, não revelou muito da trama que parece encantadora. Duas personagens curiosas uma jornalista e uma refugiada. O tema abordado pelo autor, a imigração em massa é muito interessante. Também gostei do fato da narrativa partir do ponto de vista das duas protagonistas e não apenas de uma.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Kamila!
    Parece ser um livro bem denso, e como você disse, com um tema bastante atual. Deu pra perceber que você realmente se segurou para não dar spoilers rs
    Vou colocar esse na lista do "talvez" ;)

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu tenho esse livro já um tempo na estante que ganhei de uma amiga que ia jogar fora, acredita nisso, mas ainda não consegui ler. Vendo sua resenha e podendo perceber que além da mensagem bonita deve envolver o leitor, vou tentar dar uma chance a essa leitura em breve.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  4. Eu não conhecia o livro e mesmo sabendo que vou sofrer e ter um grande impacto com a leitura, fiquei curiosa para ler A sua resenha não revelou muito sobre a trama (acredito que tenha sido propositalmente, para termos surpresas ao ler a obra) mas eu já me senti angustiada ao imaginar o que essas duas mulheres sofreram, pela frase que você colocou - que a mulher refugiada fala - dá para ver a intensidade que é esse livro.

    ResponderExcluir
  5. Que demais esse livro
    já quero ler
    quero saber como foi o encontro dessas mulheres
    amei a resenha bjos

    ResponderExcluir
  6. Compraria esse livro só pela capa <3 Nunca havia ouvido falar mas fiquei curiosa para saber porque elas ficam se reencontrado, adorei a resenha vou anotar a dica ♥

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Resenha na medida certa, parabéns pela escolha do conteúdo, não nos deu nenhum spoiler e só por algumas frases suas eu já estou correndo para comprar o livro. Tem em físico ainda?

    ResponderExcluir
  8. Nunca tinha ouvido falar nesta obra, mas a sua resenha cativou-me para conhecer o livro. Vou procurar aqui em portugal!
    Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  9. Oiii Kamila tudo bem?
    Com toda certeza adoraria ler esse livrinho, parece trazer até mesmo superação para nós leitores diante de tanto desenvolvimento da obra e principalmente a convivencia, ótima resenha e amei essa capa.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Parece ser uma história bem interessante pela sua resenha, mas acho que é aquele tipo de leitura que nem todo mundo está preparado e que as pessoas preferem passar do que se envolver e refletir sobre seus comportamentos.

    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Heiii, tudo bem?
    Nossa, realmente a premissa é bem aberta, mas tb ao mesmo tempo é interessante.
    Fiquei pensando em qual seria a situação inesperadas que as duas se encontrariam.
    Realemente me parece um livro que nao foi mto divulgado e que seria dos bons.
    Adorei a resenha, vou ler a "Pequena Abelha".
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  12. Oi, Kamila
    Poxa, gostei bastante da premissa, parece ser o tipo de história que é minha cara.
    Realmente parece que isso livro não emplacou, nunca tinha escutado sobre ele.
    Adorei a dica. Leria com certeza.

    Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  13. Pois é, você gostou bastante, mas também li vários comentários sobre essa obra que não foram muito bons. Acho que isso acaba desanimando um pouco o leitor. Talvez por isso, nunca tenha tentado dar uma chance. Mas, quem sabe?
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?

    Achei super interessante a questão de o autor pedir no livro para que não se fale muito, entendo a questão de não tirar a surpresa, mas a maioria gosta que falem. XD
    Enfim, confesso que isso, além a premissa, me deixou curiosa. Dica anotada!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Kamila! Nossa, parece ser uma história que não apenas abre os olhos dos leitores, mas também nos faz refletir. Sua resenha está incrível e fiquei muito curiosa para conferir a escrita do autor. Sem falar dessa capa que está lindíssima,dica anotada com certeza. Bjss!

    ResponderExcluir
  16. Olá
    Eu já vi esse livro muitas vezes é inclusive li umas outras resenha que também foram repletas de elogios. É uma pena que um livro tão bom, como você falou, tenha tido pouco recebimento por parte de nós leitores. Espero poder ler a obra um dia. Anotada a sua dica. Até mais ver

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia esse livro e confesso que sua resenha me deixou com vontade de ler e conhecer um pouco mais sobre essa história.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Oi Kamila, é engraçado como tem livro que não viram né, apesar de um texto bom. Eu conheço o livro, mas não cheguei a ler. Confesso que tinha até esquecido dele.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  19. oie, sua resenha foi bem concisa mas me deixou curiosa por eu saber que se trata de tema de refugiados. acho que é um tema muito atual, muito importante e que precisa sim ser discutido por todo mundo. Adorei e vai para a lista de leituras

    ResponderExcluir
  20. olá Kamila,
    É uma pena quando um livro não tem o hype que merece, né? A premissa desse livro sempre chamou muito minha atenção, mas nunca dei muita bola porque não tinha lido nada sobre. Essa frase solta, por si só, já é bastante impactante, imagino ela no livro.
    Dica anotada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi,
    Lembro que no lançamento de Pequena Abelha, o livro era sim bem comentado, e muito booktubers indicavam a leitura, assim como os blogs que lia na época.
    Mas acho que é o livro que deve sempre ser lembrado e ter sempre um destaque.
    Beijos

    ResponderExcluir
  22. Oi, Kamila. Parabéns pela resenha que consegue falar sem revelar muito - o que é fundamental para atiçar a curiosidade sobre o livro. Eu confesso que não sabia muito do livro e você me instigou. Obrigada! Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Eu não sei mais o que me chamou a atenção na sua resenha: o seu último quote ou o ator pedir para não falarmos muita coisa (é tipo um outro livro que eu amo chamado mentirosos). Quero muito ler esse livro! Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  24. Oi!

    Tudo bem?

    O título do livro é peculiar, e talvez por isso a tradução não tenha sido ao pé da letra. EU não li esse livro, mas imagino quem deva ser os homens maus e realmente não vi muita divulgação da obra. A temática é complexa, pois a imigração tem sido alvo de diversas discussões, principalmente na Europa e atualmente no Reino Unido, o que acaba por despertar a curiosidade. Beijos e tentarei ler.

    ResponderExcluir
  25. Oie! Tudo bem?

    Já ouvi falar da obra, mas nunca havia lido uma resenha sobre! Achei a capa muito linda e a proposta da obra chamou a minha atenção, com certeza em algum momento irei atrás dessa obra para realizar a leitura dela!

    Bjss

    ResponderExcluir
  26. Olá, tudo bem?

    Não conhecia o autor e nem essa obra, mas pela sua resenha leria com toda certeza. Atiçou minha curiosidade. Essa capa também chama muito a atenção!

    Beijos
    Laneh Martins

    ResponderExcluir
  27. Olá!
    Esse livro para mim foi TUDO, li em 2011 e é o primeiro livro resenhado no blog pelo Lucas.
    Que maravilha vê-lo por aqui depois de tanto tempo. Bjs

    ResponderExcluir
  28. Oi Kamila, tudo bem?

    Não conhecia o livro, mas apenas pela sua resenha já fiquei impactada. Eu adorei o fato do autor querer que se fale o mínimo possível da obra, e sim que a leia e sinta tudo que ela oferece. Como você mencionou que os fatos que permeiam o livro ainda são bem atuais, então tenho alguns palpites quanto a eles. Já vou correndo comprar esse livro, quero sentir toda essa carga que ele parece conter.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  29. Oie amore,

    SOu definitivamente apaixonada por esse livro... adorei ler sua resenha, deu até vontade de ler de novo o livro.
    De fato trata-se de um livro muito cheio de ensinamentos, e isso me encanta.


    Beijokas!

    ResponderExcluir
  30. Oiii!

    eu não conhecia esse livro, embora a capa não é estranha! Fiquei curiosa para ler o livro e conhecer o enredo e a escrita do autor, achei bem legal esse pedido dele para não contar muito pra não estragar a experiencia. A resenha está ótima!

    Beijinhos,

    ResponderExcluir
  31. Oie, tudo bem?! Já ouvi falar desse livro e fiquei muito curiosa na época. Mas agora depois de ler sua resenha, depois de saber que temos POV alternados nos dando assim uma visão melhor da história, fiquei bem mais interessada.
    Bjs

    ResponderExcluir
  32. Também me sinto como você quando me surpreendo com um livro e vejo que ele foi mal divulgado pela editora. Fiquei curiosíssima com o enredo e espero poder ler em breve.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  33. Olá Kamila! Realmente, vi pouca divulgação desse livro. Pela sua resenha, deu para perceber que é uma história linda mesmo. E por tratar um tema bema atual, deve também ser emocionante, obrigada pela dica, beijos!

    ResponderExcluir
  34. Olha, pode parecer maluco, nunca li esse livro, mas acho a proposta linda, sinto algo afetivo que vai do título à capa, não sei uma atração gratuita pela obra, mas como disse, infelizmente, nunca li. Algumas amigas que me conhecem, já indicaram essa obra, outra coisa, ela me faz lembrar das produções do Oswaldo Montenegro. Agora perceba, eu não li, e crio um universo em torno do livro. eu vou marcar ele no skoob, para não esquecer de comprar.

    ResponderExcluir
  35. Oie!
    Realmente, esse livro não foi tão divulgado quanto merecia.
    E pelo que vi, a história é linda! Preciso conferir essa leitura e ajudar na divulgação, pois é uma trama que merece muito destaque. Quero ler mais livros assim!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  36. Olá! Nunca tinha ouvido falar desse livro, tanto que você mesma fala que não teve uma boa divulgação, já gostei do livro ser escrito em primeira pessoa, gostei de tudo! Já vou marcar na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  37. Oi Ka, tudo bem???
    Eu já li uma resenha deste livro e curti bastante, mesmo não sendo uma leitura a qual eu faria sabe. Achei sua resenha bem simples, mas ela retratou o que se pode esperar da leitura e que pode sim instigar a curiosidade. Ainda mais nesta frase final, que me encheu os olhos e a coloquei até como frase do histórico do meu zap haha. Xero!

    ResponderExcluir
  38. Olá, tudo bem? De fato por não ser hypado nem conhecia o livro. Essa história de migração e luta sempre me interessou e por isso mais do que dica anotada. Também acho que serei mais tocada pela refugiada. Adorei <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Olá!!

Fortaleça este humilde blog, deixe seu comentário e seu link para eu retribuir sua visita!

Se quiser, entre em contato através do email resenhaeoutrascoisas@gmail.com :)